“Viva as mulheres, viva a luta, viva as comunidades!”

A entrega do Prêmio aconteceu no Auditório Murilo Aguiar da Assembleia Legislativa do Ceará. Foto: Jubileu Sul Brasil

Prêmio Frei Tito de Alencar de Direitos Humanos a entidades membro do Jubileu Sul Brasil no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Por Jucelene Rocha – Jubileu Sul Brasil

O Prêmio Frei Tito de Alencar de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Ceará de 2021 foi entregue, na sexta-feira (10), a 25 coletivos e movimentos que, durante a pandemia de Covid-19 se auto-organizaram como redes de solidariedade às populações vulneráveis.

O evento foi realizado no Auditório Murilo Aguiar da Assembleia Legislativa (AL) e marcou também o Dia Internacional do Direitos Humanos. A solenidade pode ser conferida no canal de YouTube a TV Assembleia.

Receberam o Prêmio Frei Tito de Alencar de Direitos Humanos de 2021, o Movimento dos Conselhos Populares e Coletiva de Mulheres/Rede Jubileu Sul Brasil; a Federação dos Povos Indígenas do Ceará (Fepoince); Auê do Amor; Grupo de Valorização Negra do Cariri/Frente das Mulheres do Cariri; Central Única das Favelas (Cufa), Cedeca; Coalizão Negra por Direitos; Coletivo Rebento; Frente de Luta por Moradia Digna; Movimento de Trabalhadores por Direitos; Centro de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos da Arquidiocese de Fortaleza.

“Trouxe nessa noite um pouco do que a gente passou nas comunidades de periferia nesse tempo de pandemia: uma situação muito crítica de não ter trabalho, de não ter o que comer, de doença e de morte. Aí chegou o convite pra gente participar da ação Sinergia Popular, onde veio junto a Rede Jubileu Sul Brasil, assim a gente passou a ter a distribuição das cestas básicas, de máscara, de álcool em gel, kit de limpeza e também chegou o Sisteminha. Pra quem não conhece, o Sisteminha é a criação de peixes no quintal, juntamente com galinheiro e também o incentivo pra gente ter a horta comunitária, ter as frutas, trabalhar mais na terra, aquilo que é possível para autossustentação», relatou em sua fala Elisabeth Vieira da Silva Bezerra, membro do Movimento dos Conselhos Populares (MCP), que integra a Rede Jubileu Sul Brasil.

Elisabeth Vieira da Silva Bezerra, membro do Movimento de Conselhos Populares (MCP), que integra a Rede Jubileu Sul Brasil. Imagem: Reprodução/TV Assembleia

 

Beth, como carinhosamente é mais conhecida em Fortaleza (CE), também destacou emocionada como a solidariedade ganhou força, especialmente com o engajamento das mulheres. “A realidade se agravou muito, mas ao mesmo tempo criou uma rede de solidariedade, a gente sentiu que muitas pessoas  começaram a ajudar, a vir pra luta. E nesse dia a gente quer convocar a nós todas e a outras, pra gente continuar na luta e ir para as ruas. Viva as mulheres, viva a luta e viva as comunidades!”, celebrou a militante no movimento por moradia.

Foram agraciados ainda na noite de premiação a Fundação Marcos de Bruin/Coletivo Jovens em busca de Deus; Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST); Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST); Círculos Populares; Central dos Movimentos Populares; Fórum dos Movimentos Sociais de Crateús; Instituto Terramar; Rede DLIS/Comitê Popular de Enfrentamento à Covid-19 no Grande Bom Jardim.

Também receberam o Prêmio de 2021, a Rede Solidária do MLB; SOS Mães Solo; Ser Ponte; Sindicato dos Músicos do Ceará; Rede Cáritas Regional Ceará e Centro Popular de Cultura e Eco Cidadania (CenaPop).

O deputado Renato Roseno (Psol), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da AL, comentou que o sentido do Prêmio, além de afirmar a memória e martírio de Frei Tito, é reconhecer e agradecer aos que, corajosamente, atuam na defesa dos direitos humanos e da dignidade humana, especialmente em um país com tamanha desigualdade – que se ampliou durante a pandemia.

O parlamentar afirmou que, em 2021, o Prêmio reconhece aqueles e aquelas que, de forma auto-organizada, levaram alimento, saúde, higiene,  apoio, humanidade, solidariedade às pessoas que estavam – e muitas ainda estão – com a vida sob ameaça.

Compuseram a mesa da solenidade, desembargadora Nailde Pinheiro, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará; Ivo Herzog, filho do jornalista Vladimir Herzog, e presidente do Instituto que leva o nome do pai; Cristiane Holanda, representando o Governo do Estado em nome da vice-governadora Izolda Cela; Lia Cordeiro Felismino, da Defensoria Pública do Estado do Ceará.

Estiveram presentes ainda Leila Paiva, presidente Comissão Direitos Humanos da OAB-CE; Vanilo de Carvalho, da CNBB; Louise Santana, co-vereadora de Fortaleza (Psol), da mandata coletiva Nossa Cara e Cristiane Faustino, presidenta do Conselho Estadual de Direitos Humanos.

Assista a entrega do Prêmio na íntegra:

 

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *