Seminário discute os rumos do desenvolvimento social na América Latina

Jovens de toda região latino-americana se encontraram virtualmente para discutir experiências de cooperação e as melhores maneiras de alcançar as metas da Agenda 2030

Organizado pelo Instituto Nacional de Economia Social (INAES) em conjunto com p governo da Cidade do México e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do CDMX, o “Encontro Digital: Jovens e Economia Social para o alcance dos ODS” faz parte de uma série de conferências que estão realizando rumo ao “Fórum Global da Economia Social (GSEF) 2021”.

A sessão virtual contou com dez participantes da Rede Jubileu Sul/Américas de cinco países diferentes (Nicarágua, Brasil, Peru, Guatemala e El Salvador). Dividida em duas partes, primeiro com jovens de México, Argentina, Colômbia, Chile, Uruguai compartilhando experiências de cooperativismo e economia social solidária, e depois com a promoção de um intercâmbio de ideias, mesas de discussão em grupo com os temas juventude, economia social solidária e objetivos de desenvolvimento sustentável, a sessão ocorreu em 1º de setembro, sendo transmitida para mais de mil participantes.

Uma das participantes que compartilhou experiências no evento, Ana Hevia, Coordenadora Juvenil da SDSN Youth México, lembrou que a juventude faz parte de mais da metade da população, portanto, é uma parcela importante da população para se envolver no debate. “O desenvolvimento sustentável traz três elementos conectados: Crescimento econômico, inclusão social e sustentabilidade ambiental. O objetivo dessa agenda é pôr fim a pobreza, lutar contra desigualdade e contra o câmbio climático”, afirmou.

A Rede Jubileu Sul Américas vê a participação na palestra como fundamental, visto que o acompanhamento permanente em torno das discussões com relação à Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na América Latina e Caribe tem sido uma missão permanente da Rede dentro da ação Protagonismo da sociedade civil nas políticas macroeconômicas.

Raíssa Lazarini, coordenadora de projetos da Rede, falou sobre a importância do projeto:

“Acompanhamos espaço de debates sobre os ODS e Agenda 2030, afim de construir uma contra narrativa a esse modelo de desenvolvimento capitalista e esse discurso oficialista das agências multilaterais, além de incidir e monitorar políticas públicas que repercutem principalmente nos temas ambientais, de gênero e de desigualdade. Acreditamos que os povos e as comunidades são os principais protagonistas e devem ter a garantia de participação nos espaços de discussão e formulação de políticas públicas”, lembrou.

Após a participação no evento, as organizações da Rede Jubileu Sul/Américas da região mesoamericana realizaram um debate interno para aprofundar a discussão sobre o tema. Martha Flores, coordenadora do Jubileu Sul/Américas, explicou que é preciso ter cuidado com um enfoque exagerado nas metas da Agenda2030, sem questionar a profundidade de problemas estruturais da sociedade.

“É mais fácil não questionar o sistema em sua estrutura e colocar remendos. Acho que pelas nossas perspectivas e experiências temos tanto caminho acumulado e podemos nos questionar sobre como querem nos vender o tema dos ODS como algo quase mágico. Lembremos que essa agenda também tem interesses corporativos e aí nós, pelo que fazemos, podemos contribuir muito para a contranarrativa e para a denúncia das iniquidades que se vivenciam em nossos municípios”, conclui.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *