Coletiva de mulheres do JSB em Fortaleza (CE) e MCP vão receber Prêmio Frei Tito de Alencar de Direitos Humanos

Prêmio Frei Tito de Alencar é concedido pela Assembleia Legislativa do Ceará e foi criado em 2001 para reconhecer trajetórias de respeito, defesa e promoção de direitos humanos de indivíduos e organizações no estado.

A Coletiva de Mulheres da Rede Jubileu Sul Brasil (JSB) em Fortaleza (CE) e o Movimento dos Conselhos Populares (MCP), que integra a Rede Jubileu Sul Brasil e desenvolve ações no âmbito do Protagonismo da Sociedade Civil nas Políticas Macroeconômica, receberão o Prêmio Frei Tito de Alencar de Direitos Humanos, que este ano traz o mote “A solidariedade é amor e humanismo em ação”.

A homenagem será feita no Dia Internacional dos Direitos Humanos, 10 de dezembro, criado como marco da Declaração Universal dos Direitos Humanos e proclamada em 1948 pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). A entrega da comenda ocorrerá durante sessão solene às 19h, no auditório Deputado Murilo Aguiar.

A solenidade concederá o prêmio a entidades e coletivos que se constituíram como redes de apoio e solidariedade a pessoas vulneráveis ou que enfrentaram grandes dificuldades durante a pandemia da Covid-19 no Ceará.

“Foram iniciativas que se dedicaram a trabalhar com transferência de renda, produção e distribuição de alimentos, com apoio a pessoas sem teto, apoio a profissionais diretamente impactados pela crise sanitária (como artistas, autônomos, pequenos comerciantes), entre outras atividades”, diz matéria publicada no site do deputado Renato Roseno, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa.

“Diante de índices alarmantes de desemprego e pobreza, as campanhas solidárias realizadas por movimentos de base alcançaram a população mais vulnerável suprindo necessidades básicas, como alimentação e renda mínima», defende o deputado.

Entre as ações da Coletiva de Mulheres em Fortaleza estão iniciativas de apoio e proteção de mulheres vítimas de violência, o fortalecimento da organização das mulheres na luta por moradia digna e garantia da soberania alimentar, geração de emprego e renda.

“Tais iniciativas mostraram a potência da auto-organização e ação coletiva das periferias como meio de enfrentamento aos impactos de um modelo econômico e ambiental que desafia o futuro da humanidade”, reforça Renato.

A pandemia da Covid-19 não só resultou em desemprego e adoecimento mental, como agravou o quadro da fome no país. De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar Contínua (PNAD Contínua) 2020, no Ceará, enquanto a parcela 50% mais pobre da população sobreviveu, em 2020, com renda média mensal de R$ 314, o grupo dos 1% mais ricos, detinham rendimento mensal acima de R$ 12,7 mil durante todo o ano de 2021.

“Diante da crise econômica e sanitária vivida nos últimos anos, o Estado não conseguiu efetivar direitos básicos e aqueles que se encontram no topo do poder se beneficiaram, tornando-se ainda mais ricos”, reitera Roseno.

Serviço: Entrega do Prêmio Frei Tito de Alencar 2021 – Entidades e coletivos que se constituíram como redes de solidariedade durante a pandemia da Covid-19 no Ceará, entre elas a Coletiva de Mulheres do Jubileu Sul Brasil e Movimento dos Conselhos Populares (MCP)
Data: 10/12/21, às 19h
Local: Auditório Deputado Murilo Aguiar

 

 

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *